2001 – Odisséia Espacial | Trechos

Quando estivesse cansado de relatórios oficiais, memorandos e atas, ligaria o noticioso eletrônico na tomada do circuito de informações da espaçonave e passaria os olhos pelas últimas notícias da Terra. Entraria em contato com cada um dos principais jornais eletrônicos…Cada manchete possuía um código de dois algarismos. Era só marcar o número desejado para que o pequeno retângulo do tamanho de um selo aumentasse até ocupar toda a tela…Era difícil imaginar que o sistema pudesse ser mais aperfeiçoado ou tornado mais prático. Porém mais cedo ou mais tarde, pensava Floyd, acabaria sendo substituído por um novo aparelho, tão impossível de ser imaginado quanto seria o noticioso eletrônico para Caxton ou Gutemberg.
Outro pensamento vinha-lhe à mente ao ler as pequeninas manchetes eletrônicas. À medida que os meios de comunicação se tornavam cada vez mais extraordinários, as notícias pareciam cada vez mais banais, escandalosas ou deprimentes. Acidentes, crimes, desastres naturais ou provocados pelo homem, ameaças de guerra, editoriais pessimistas continuavam a ser o principal assunto dos milhões de palavras enviadas ao éter.

No entanto, o enorme mundo abaixo deles não estava totalmente escuro. Envolvia-o uma fosforescência que se tornava mais brilhante à medida que os olhos se habituavam à cena. Rios de luz confusa espalhavam-se de horizonte a horizonte, à guisa de esteiras luminosas deixadas por navios num mar tropical. Aqui e ali formavam poços de fogo líquido, estremecendo sob as imensas perturbações provenientes do coração oculto de Júpiter. Tratava-se de uma visão tão importante que Poole e Bowman seriam capazes de ficar apreciando-a durante horas e horas. Seria – pensavam eles – simplesmente o resultado de forças químicas e elétricas lá embaixo, naquele caldeirão fervente, ou poderia ser o subproduto de alguma fantástica forma de vida? Essas eram perguntas que os cientistas talvez ainda continuassem debatendo quando o recém-iniciado século já estivesse chegando ao seu fim.

Nada mais mudara a bordo na nave. Todos os sistemas continuavam em funcionamento. A centrífuga girava lentamente em seu eixo, produzindo gravidade simulada. Os hibernados continuavam mergulhados num sono sem sonhos, no interior de seus cubículos O Discovery prosseguia rumo ao seu inevitável destino, sem que nada pudesse desviá-lo de seu curso, excetuando-se a possibilidade remota de colisão com algum asteróide nessas paragens além da órbita de Júpiter.

Anúncios

5 comentários sobre “2001 – Odisséia Espacial | Trechos

    • Pra falar a verdade tem certos livros que eu não entendo como continuei lendo. Por exemplo o 20 mil léguas submarinas. Ele tem tantos termos técnicos, como nome de seres marinhos ou tipos de embarcação…’viajei’ em muitas páginas, mas acabei gostando…e com esse livro não foi diferente. Mas acabei amando eles dois! Por isso te recomendo que leia-os sim =)

  1. Acho tão engraçado como eles tinham essa veia tão futurista naquela época. Acreditavam que no século 21 estaríamos todos pilotando naves interplanetárias!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s