Gente Pequena

Como todos os dias da semana, estava eu mais uma vez indo pro trabalho de transporte público. E aqui em São Paulo funciona mais ou menos assim: se você não tem um meio de entretenimento válido, como um livro ou um player de mp3, você fica vulnerável aos pseudo-celulares do pessoal que ouve música ‘boa’ sem fones, ou daquela galera que esquece que está num ambiente público e fala no maior volume possível sobre coisas inerentes a sua viagem.

E hoje eu me encontrei nessa situação de desvantagem. Na verdade eu tinha na mochila um livro de Érico Veríssimo, mas estou nas últimas páginas da história e não queria estragá-la tendo que ler naquele ambiente inapropriado. Além disso, também levava meus fones, mas estava sem pique nenhum para usá-lo. Sendo assim, fui pra guerra!

Não demorou muito para aparecer atrás de mim uma dupla de amigas com o mínimo de educação possível. Olhando para elas você não dizia que aquelas palavras saíam de suas bocas. Eram bonitas e estavam bem trajadas. Isso só tende a mostrar que não é aparência que define o real valor de uma pessoa.

Pois bem, a enxurrada de palavrões e besteiras durou por quase uma hora. Mas o pior de tudo não foram as palavras em si, mas ver como as garotas se sentiam superiores a outras pessoas. Dava pra saber isso porque o assunto da conversa em geral foi uma fofoca gerada sobre elas. Você acaba se envolvendo sem querer na conversa dos outros devido à proximidade delas e também pela falta de educação das mesmas.

Através das palavras, as vitimas dessas duas mulheres foram tachadas dos piores termos. E uma delas dizia:

“Mas eu sou assim mesmo, freqüento os melhores lugares, ando com pessoas ricas, tenho status. Eu sou assim”.

Como senti dó dela, dando valor a algo tão fútil, que logo passará com o tempo. Os anos não levam apenas nossa beleza, eles trazem também a certeza de que falhamos, de que somos apenas uma criação que nada tem do que se orgulhar.

E é nessas horas que a gente percebe a situação em que as pessoas chegam. Hoje ser solícito, humilde e simples é algo idiota, de gente boba. Se você é alguém amigável, logo pagará pelas boas atitudes. Fico imaginando aonde chegaremos com isso. Se em poucas décadas tanta coisa mudou, quais serão os valores das pessoas no futuro?!

Anúncios

6 comentários sobre “Gente Pequena

  1. Pois é, como será a próxima geração? Marcada pelo “consumo, logo existo” como hoje. Se não houver uma tomada de consciência para as coisas que realmente importam, iremos ao mais profundo abismo das tolices humanas.

  2. Também vejo por esse lado, as vezes a pessoa mora em um lugar maravilhoso, tem o melhor carro, as melhores roupas, e não tem conteúdo, pra mim o que realmente importa é o que sai da boca da pessoa e não o que ela passou nos lábios… VIVA A CULTURA! VIVA O CONHECIMENTO…

    • Antes eu também me enganava com isso, só que mais do que nunca vale a máxima: as aparências enganam!
      O que temos dentro nós vale mais do que tudo, concordo com você!

      Beijo e obrigado por visitar o blog o/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s