Realidade aumentada…

Hoje em dia com o mercado cada dia mais competitivo ,as novas mídia novas tendências vem aparecendo para diferenciar e destacar os produtos de dessa concorrência.

Antigamente pensávamos como seria legal falar ao telefone e ver a pessoa do outro lado,hoje temos o 3g. Gostaríamos de ter todos nossos amigos perto e sempre nos mantermos atualizados do que eles estão fazendo, e o Facebook realizou esse nosso desejo. Putz, não tenho a mínima ideia de onde sair e encontrar os amigo?! Há,  o Foursquare tá aí pra solucionar nossos problemas.

E assim seguimos. Com os produtos não fogem muito com esse estigma.  Sempre  quisemos tocar (ou quase) os produtos que estamos vendo na internet ou dentro de uma vitrine. Hoje com a Realidade Aumentada a perspectiva que temos de algumas coisas se torna mais clara.

Mas que diabos é a Realidade aumentada!?

Realidade Aumentada é definida usualmente como a sobreposição de objetos virtuais tridimensionais, gerados por computador, com um ambiente real, por meio de algum dispositivo tecnológico. Entretanto, esta conceituação é muito geral e só fica clara com sua inserção em um contexto mais amplo: o da Realidade Misturada.

A Realidade Misturada (Milgram, 1994), misturando o real com o virtual, abrange duas possibilidades: a Realidade Aumentada, cujo ambiente predominante é o mundo real, e a Virtualidade Aumentada, cujo ambiente predominante é o mundo virtual.  Pode-se dizer, então, que a Realidade Aumentada é uma particularização da Realidade Misturada. A Figura 1 apresenta o diagrama adaptado de realidade/virtualidade contínua, mostrando as possibilidades gradativas de sobreposição do real com o virtual e vice-versa.

Figura 1 - Diagrama de realidade/virtualidade contínua (Milgram, 1994).

Figura 1 - Diagrama de realidade/virtualidade contínua (Milgram, 1994).

Realidade Aumentada é a inserção de objetos virtuais no ambiente físico, mostrada ao usuário, em tempo real, com o apoio de algum dispositivo tecnológico, usando a interface do ambiente real, adaptada para visualizar e manipular os objetos reais e virtuais (Kirner and Kirner, 2007). A Realidade Aumentada aplica-se em todos os sentidos humanos (Azuma, 2001) e proporciona ao usuário uma interação segura, sem necessidade de treinamento, uma vez que ele pode trazer para o seu ambiente real objetos virtuais, incrementando e aumentando a visão que ele tem do mundo real (Kirner and Zorzal, 2005). Isto é obtido por meio de técnicas de Visão Computacional e de Computação Gráfica/Realidade Virtual, o que resulta na sobreposição de objetos virtuais com o ambiente real (Billinghurst, 2001; Boman, 1995; Milgram 1994). Considerando o sentido da visão, além de permitir que objetos virtuais possam ser introduzidos em ambientes reais, a Realidade Aumentada também proporciona ao usuário o manuseio desses objetos com as próprias mãos, possibilitando uma interação natural e atrativa com o ambiente (Billinghurst, 2001; Santin, 2004; Zhou, 2004).

A Figura 1 mostra uma aplicação de Realidade Aumentada, onde é permitida a manipulação dos objetos virtuais.

A Realidade Aumentada também pode ser definida como a inserção de objetos virtuais no ambiente físico, mostrada ao usuário, em tempo real, com o apoio de algum dispositivo tecnológico, usando a interface do ambiente real, adaptada para visualizar e manipular os objetos reais e virtuais (Kirner and Kirner, 2007). A Realidade Aumentada aplica-se em todos os sentidos humanos (Azuma, 2001) e proporciona ao usuário uma interação segura, sem necessidade de treinamento, uma vez que ele pode trazer para o seu ambiente real objetos virtuais, incrementando e aumentando a visão que ele tem do mundo real (Kirner and Zorzal, 2005). Isto é obtido por meio de técnicas de Visão Computacional e de Computação Gráfica/Realidade Virtual, o que resulta na sobreposição de objetos virtuais com o ambiente real (Billinghurst, 2001; Boman, 1995; Milgram, 1994). Considerando o sentido da visão, além de permitir que objetos virtuais possam ser introduzidos em ambientes reais, a Realidade Aumentada também proporciona ao usuário o manuseio desses objetos com as próprias mãos, possibilitando uma interação natural e atrativa com o ambiente (Billinghurst, 2001; Santin, 2004; Zhou, 2004).

A Figura 2 mostra uma aplicação de Realidade Aumentada, onde é permitida a manipulação dos objetos virtuais.

Figura 2 – Manipulação dos objetos virtuais (Zhou, 2004).

Figura 2 – Manipulação dos objetos virtuais (Zhou, 2004).

Para que os objetos virtuais façam parte do ambiente real e sejam manuseados deve-se utilizar um software com capacidade de visão do ambiente real e de posicionamento dos objetos virtuais, além de acionar dispositivos tecnológicos apropriados para Realidade Aumentada. De acordo com Tori et al. (2006), o hardware de Realidade Aumentada pode usar dispositivos de Realidade Virtual, mas tende a não obstruir as mãos, que devem atuar naturalmente no ambiente misturado. Técnicas de rastreamento visual, usando visão computacional e processamento de imagens são importantes neste caso. Kirner e Siscoutto (2007) descrevem que com a popularização da webcam e com o avanço das técnicas de visão computacional e do poder de processamento dos microcomputadores, o rastreamento óptico passou a ser uma realidade, em função da disponibilidade e do baixo custo.

(Veja os tipos de sistemas de Realidade Aumentada AQUI)

Pra exemplificar melhor ainda veja como as agências de publicidade vem trabalhando com as marcas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s