O Príncipe [Parte 1]

Demorei muito para colocar essa resenha no ar. Tinha feito ela há aproximadamente um mês atrás porém não pude postar porque estava incompleta. Tinha feito a resenha à mão e quando fui passar para o computador fiz metade e deixei a segunda parte para o dia seguinte. Porém passei todo esse mês procurando a folha com a resenha, sem sucesso. Por isso postarei essa primeira parte, e assim que encontrar a segunda farei o possível para publicá-la. Nunca fui muito chegado a textos analíticos, que exploram uma situação ou ideia, colocando elementos que reforcem o pensamento a ser defendido, com exemplos e metáforas. São textos ricos, que trazem bastante conteúdo sobre assuntos específicos, mas não a ponto de prender minha atenção. Mas quando elaborei uma lista, muitas semanas atrás, de livros para ler e resenhar, coloquei entre eles “O Príncipe”, de Maquiavel. Já tinha ouvido falar bastante coisa a respeito desse livro, inclusive na matéria de Administração do meu curso técnico. E isso gerou minha curiosidade quanto ao livro e o autor em questão, que pra mim eram novidade. E depois de alguns dias o lendo com inegável esforço para não largar a leitura, descobri pontos mui interessantes nessa leitura, que serão dispostos aqui, de acordo com o que pude compreender.

O livro, que é datado do século XV, foi motivo de ira em diversos setores da sociedade, mesmo anos após sua publicação, pois trazia ideias fortes e inovadores para a época. Não eram filosofias impactantes se analisadas hoje, mas para o povo daquele tempo elas eram agressivas, nocivas à eles, em seus pensamentos. Porém foi através desse livro que Maquiavel foi considerado pai da Ciência Política, já que suas exposições ganharam o espaço apropriado e são usadas até hoje. Parte de todo esse sucesso se deve ao fato que Maquiavel era filósofo e político, o que o ajudou a aliar o conhecimento de ambas as áreas de maneira consistente e efetiva. A ligação entre essas duas ciências não é natural, então é necessário um bom conhecimento delas para uma assimilação como a feita por ele.

Ele tem uma cadência difícil de acostumar, principalmente se você está habituado aos contos e romances, mas nada que impeça a leitura, a não ser que você seja muito exigente. A dificuldade existe porque os conhecimentos empregados no livro podem ser considerados de caráter técnico, ou melhor, com termos inerentes ao nosso dia-a-dia. Mas creio que isso seja bom, para aumentar nosso dicionário de termos e ideias. E para ajudar nessa assimilação, o livro conta com duas partes: uma a respeito do príncipe e seus atributos, e outra sobre os principados. Essa separação ajuda no melhor entendimento da obra.

O desenvolvimento do livro se dá na explanação de temas dispostos pelo autor, quase sempre usando fatos históricos e/ou de sua época como forma de exemplificação. Para quem estuda História ou áreas relacionadas, esse livro é um ‘prato cheio’.

Anúncios

3 comentários sobre “O Príncipe [Parte 1]

  1. O Príncipe é uma leitura maravilhosa. É indispensável a sua leitura, se quiser compreender o pensamento de sua época, bem como do que é política.

    Ótima resenha!!

    Abraços.

  2. O Príncipe é uma leitura maravilhosa. É indispensável a sua leitura, se quiser compreender o pensamento da época em que foi escrito, bem como do que é a dinâmica política.

    Ótima resenha!!

    Abraços.

    • É verdade, o livro dá uma ideia válida da sua época, isso é uma das coisas que tirou o peso desse tipo de leitura na minha opinião. Gostei muito!
      Valeu pelo elogio Polly, feliz natal!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s