The Walking Dead – A Ascensão do Governador

Sempre gostei de “espelhamentos culturais”. Acho interessante quando um filme se torna livro, quando um filme ganha um musical, ou quando uma série televisiva vira uma coleção de livros. Apesar de existirem divergências entre as produções em 99,9% dos casos, é legal ver os resultados e compará-los, por vezes libera até mesmo uma nova visão da história em nossa interpretação. E um livro que li nas últimas semanas que se encaixa nesse contexto é “The Walking Dead – A Ascenção do Governardor”.

Antes de falar sobre a leitura, fiz uma pesquisa sobre a história e descobri que antes de ser tornar um livro ela passou por dois caminhos distintos: iniciou nos quadrinhos e ganhou uma versão televisiva. Da série de TV eu já tinha ouvido falar até demais, já que é uma das vedetes da FOX. Já os quadrinhos foram uma novidade para mim, já que nunca fui muito próximo deles, seja qual for o gênero. Essa trinca de atividades fez com que a franquia fosse rentável aos seus autores, creio eu. Recomendo uma pesquisa mais aprofundada para quem se interessar.

TWD

The Walking Dead – A Ascensão do Governador

Apesar de gostar dessas versões das obras, do autor só conheço o livro, que falarei a respeito daqui para frente. Aliás, esse foi meu primeiro livro do gênero “terror”. Para um marinheiro de primeira viagem o livro pode parecer denso e pesado, mas certamente não o é. Apesar de narrar inúmeros “assassinatos” de zumbis e momentos desperantes, ele não é um livro de colocar medo. Mas algo precisaria existir para que a história prendesse o leitor. É aí que entra a boa técnica do autor do quadrinhos Robert Kirkman e do escritor Jay Bonansinga. Juntos eles conseguiram colocar diferentes elementos na trama que a enriqueceram.

Um ponto interessante da obra é o grupo fixo de personagens atuantes. Ao longo da história aparecem e se vão algumas pessoas, mas certo grupo se mantém até o fim, como toda história padrão. E é quase uma família que a compõe, contando com Philip Blake, seu irmão Brian, a filha de Philip, Penny, e dois amigos deles, Nick e Bobby. Juntos eles precisam se ajudar para sobreviver ao apocalipse zumbi que assombrou todos os lugares que eles conheciam. Através do rádio e TV chegavam informações a respeito do evento, que foi se espalhando pelos estados e cidades americanas. Não sei explicar como tal apocalipse veio a se suceder, sugiro que você dê uma pesquisada.

Com tal grupo eles saem em direção a Atlanta, única cidade que “sobreviveu” a toda desgraça. Só que o caminho para lá é muito complicado. Eles precisam passar por estradas cheias de carros batidos e zumbis que eram motoristas e pedestres dias atrás. Para isso precisam eliminar centenas de mortos-vivos, com descrições bem detalhadas de cada execução. No caminho eles se hospedam numa casa abandonada, depois de fazerem a devida limpeza por lá. Porém a vizinha também foi atacada pelo mal, mesmo sendo um condomínio fechado. A solução? Estocar suprimentos na caminhonete e se mandar de lá.

Só que infelizmente uma baixa ocorre dentro do grupo. Como não gosto de spoilers nem vou contar o que se sucede, mas é um fato importante da história. Aliás, as baixas ocorrem até as últimas páginas do livro, e não posso entrar em detalhes porque tiraria a graça do mesmo. Mas é verdade, se acompanhar a leitura com atenção e até o final você verá que o desenvolvimento dela é belo e harmonioso. Não existem fatos soltos, coisas difíceis de compreender, parece que cada ocorrência se relaciona com as anteriores, o que deixa a história sedutora.

Para os fás da série vale ressaltar que a história não é uma versão dos quadrinhos, e muito menos da série televisiva. Ela na verdade conta a história, como o próprio título diz, da ascensão do governador dos sobreviventes. E o mais interessante é que [lá vem spoiler] o governador, no final das contas, é quem você menos imaginaria. Boa leitura!

Anúncios

2 comentários sobre “The Walking Dead – A Ascensão do Governador

  1. Nossa, não sabia que a Brenda também postava nesse blog! Sou apaixonada pelo blog dela e o da Lívia eu comecei a frequentar a pouco tempo,mas gostei bastante do que vi! Parece que vou gostar muito desse projeto. As pessoas ques escrevem são ótimas.

    E olha que coincidência, meu novo post fala sobre adaptações de filmes baseados em livros. Quanto a The Walking Dead eu não sei muito o que falar, pois não acompanho nadinha, nem série televisiva, nem os quadrinhos nem os livros, mas obviamente conheço do que se trata. Infelizmente, o universo zumbi não me cativa muito, embora todos digam que o enredo é bom.

    Ah, e obrigad pelos elogios lá no blog. E pode ficar tranquilo, que comentários bons são aqueles que expressam a opinião do leitor, sendo igual ou contrária. Afinal, nem todos partilham da mesma ideia sempre, o que é super normal.

    Enfim, beijos e ótimo trabalho com o blog =)

    • Yes, elas participam! O blog foi feito de diferentes épocas, se ainda não tiver visto dê uma olhada no “about” que dei uma explicada 😉

      Coincidência não, transmimento de pensação! haha, de praxe. Mas lhe digo, leia o livro sim, é muito bom! Estou aguardando ansiosamente pela continuação, tomara que venha logo!

      Agradeço pela compreensão, é algo que falta em alguns momentos para aqueles que decidem compartilhar suas ideias e visões.

      Beijo e volte sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s