Entrevista com Renato Ribeiro

Ser músico é algo bem interessante. Te faz interpretar a própria vida de outra forma. E quando você reúne esse dom com outros da mesma estirpe, como as artes gráficas? E, como para brindar, rega tudo isso a muito carisma? Esse é um pequeno resumo do entrevistado desse mês, o vocalista da banda Unlife, Renato Ribeiro. Entre outras coisas ele fala sobre sua banda e as mudanças pelas quais ela passou, além dos seus projetos projetos pessoais e sua ótica do mundo. Enfim, Continuar lendo

Anúncios

Entrevista com Hunger United

A música underground brasileira  sempre teve bons nomes, e justamente por ser uma cena “under” dificilmente chegava ao ouvido da galera. Porém isso mudou com a internet, onde os artistas encontraram um ótimo espaço para divulgar seus trabalhos. E um dos estilos que tem aproveitado esse recurso é o rock, nas suas infinitas vertentes.

Dentro dele existe uma veia que tem ganho uma divulgação interessante na rede, e consequentemente obtido resultados. Esse é o Continuar lendo

Dead Fish no Hangar 110 | 04.12.11

Prometo que esse será o último show que denominarei como o melhor que já fui. Até porque, depois de vários eventos seu conceito de qualificação muda, e você percebe que não existe show melhor que outro. Enfim, esse foi um dia memorável pra mim, pois em todos os shows que fui não havia presenciado tamanho conjunto de fatores que tornaram o show o ‘melhor que já fui’.
Antes de ir pro Hangar tive um vestibular cansativo, o que de certa forma tirou parte da animação pra um show daquele naipe, com boas bandas e amigos presentes. Porém mesmo cansado, fui e Continuar lendo

Resenha: Parkway Drive em São Paulo

Vou tentar não ser repetitivo nessa resenha. Porém é difícil, pois esse evento foi, assim como outros nesse ano, histórico, pra ficar marcado na mente e coração de todos que estiveram presentes. Já era de se esperar um evento memorável, visto que os australianos do Parkway Drive são conhecidos pela energia no palco, desde seu modesto início até agora, no topo das paradas. E foi uma experiência legal para mim pessoalmente, pois nos últimos tempos tenho ouvido músicas – como disse a Cá Martins, que conheci na ida ao show – do gênero mainstream clean, isto é, bandas mais populares, como Pearl Jam, Metallica, John Frusciante, entre outras. E ir num evento hardcore desse nível foi interessante pelo contraste que isso fez na minha mente, gerando uma visão ímpar, livre da influência do gosto musical pesado. Sem mais delongas, vamos ao resumo do show.  Continuar lendo

Cinéfilos e não cinéfilos: Atenção!

Mostra Internacional de Cinema 2011

Adoro os mil e tantos eventos culturais que rolam em Sampa. Entre eles, esse mês acontece a Mostra Internacional de Cinema. Mais de 250 filmes serão exibidos entre 21 de outubro à 3 de novembro. Podemos nos deliciar em alguma comédia, se emocionar em um drama, gritar em algum de terror ou pular de alegria com algum clássico. Continuar lendo

Resenha: As I Lay Dying e Heaven Shall Burn em São Paulo

A cada show que vou fica difícil encontrar palavras diferentes para representar o que foi aquele evento pra mim. E esse show mais uma vez foi…sensacional, beirando a perfeição. Não apenas por ser um estilo que gosto, mas pelas bandas que executam com extrema habilidade seus dons, pela produtora que tem feito história em nosso continente e pelo público, que compareceu em peso e colaborou, fazendo uma ótima festa para os amantes desse estilo tão envolvente que é o metalcore.

Graças a Deus tudo ocorreu tranquilamente, desde a saída de casa até meu retorno. Da minha região foram quase 25 pessoas, que lotaram 2 vans previamente locadas. Chegamos cedo e por isso pudemos aproveitar o tempo de espera num shopping perto da casa. Quando voltamos, tomamos ‘um susto’: a fila de entrada rodava o quarteirão. Fazer o que, fomos pro fim dela. O ruim disso é que quando entramos a banda de abertura já tinha tocado e o palco estava sendo preparado para a primeira grande atenção da noite. Bom pra quem foi ver as bandas gringas!

Passada certa angústia, esperando o tempo se consumir logo, eis que surge ao fundo uma ‘melodia lírica’, característica das introduções do Heaven Shall Burn. Quando os músicos vão se colocando a postos, a galera logo começa a vibrar. Estavam há alguns segundos de ver uma das maiores bandas de metalcore da história. Logo todos estavam no clima do som, pesado e intenso. A banda tocou suas músicas mais conhecidas, como Endzeit e The Weapon They Fear, e outras, como The Omen, do trabalho mais recente dos caras. Continuar lendo

Mitos Paulistas

Esse ano foi e será de grandes perdas para a história do futebol mundial. Perdemos um dos maiores atacantes de todos os tempos, o eterno camisa 9 Ronaldo, e em breve, no final do ano, mais um mito deixa os gramados: Marcos, o goleiro do Penta. E não bastasse esses golpes na história desse esporte, logo também teremos mais uma despedida: a do goleiro artilheiro Rogério Ceni. Creio que em menos de 5 anos essa notícia se tornará manchete nos nossos informativos diários.

Continuar lendo

A Marcha e minha opinião

Nessa semana foi realizada mais uma Marcha pra Jesus em São Paulo e outros estados. E como em todos os anos anteriores, ela veio acompanhada de uma série de críticas e ataques. Bem, como tenho conhecidos de ambos os lados – defensores e críticos –resolvi trazer o tema para a blogosfera. Quero antes de qualquer coisa dizer que não é meu objetivo gerar atritos em pessoas que pensam diferente de mim. Quero apenas expressar minha opinião e saber o que vocês pensam a respeito do tema.
Mas antes de falar sobre o assunto, vamos esclarecer mais sobre o evento.
Sei que é difícil, mas sempre pode ter alguém que ainda não conheça o evento. Pois bem, a Marcha pra Jesus é um evento que ocorre anualmente em várias partes do mundo e nela cristãos de várias denominações se unem para marchar pelas ruas de suas cidades, cantando e dançando, mostrando a todos sua fé em Jesus. Aqui no Brasil a Igreja Renascer em Cristo é a organizadora desse evento religioso. Nele várias bandas se apresentam em trios elétricos e na concentração. Há também os momentos de oração e Palavra, caracterizando uma verdadeira reunião cristã.

Vendo desse ângulo, parece ser um evento unânime e de total aceitação. Porém não é assim. Existe um grupo de cristãos que critica ferrenhamente esse tipo de manifestação religiosa e aponta dezenas de falhas nela, mediante o emprego da Bíblia. Eles dizem, por exemplo, que Cristo não precisa de eventos que chamem a atenção da população para que Ele possa agir e salvar. Confesso que já fui parte constituinte desse grupo, e tinha meus motivos. Mas hoje quero mostrar aqui minha atual ideia desse evento e saber o que cada um acha dele.

Como já disse, eu também era um crítico da Marcha. Não por ser um evento chamativo (visto que fecha várias ruas nas cidades onde é feita), mas sim por não ver um real fundamento nela. Mesmo tendo ido à do ano passado ainda achava algo sem valia ou com importância. Mas aos poucos fui mudando minha forma de pensamento. Não a respeito dela, mas no geral, em um todo. Comecei a perceber que sem compreensão não se chega a lugar algum. E foi a partir daí que percebi que todas as injúrias levantadas contra a Marcha não tem sentido.
Se for um evento que não simpatizamos, tudo bem. O que não podemos é dizer que a Marcha é um evento ruim, que apenas visa o bem-estar humano e não contribui para o Evangelho. E pior ainda se usarmos a Palavra para tentar nos explicar. Sabe por quê? Basta olhar bem. A Marcha para Jesus é um evento do povo, onde as pessoas expressam a sua fé por meio de uma ação pública, sem ter vergonha de dizer que tem Cristo como guia. Por ser um evento do povo, público, é mais do que aceitável. Não é uma Marcha DE Jesus, mas PARA Jesus. Isso significa que é o povo o responsável por ela, e não a Palavra. Por isso não podemos condenar a Marcha com base nas Palavras de Cristo porque as pessoas se manifestam do jeito que entenderem, sem estarem erradas por isso. Errado seria se alguém chegasse e dissesse que criou a Marcha por inspiração divina. Aí sim eu poderia concordar com as críticas.
Que existem picaretas, safados e sem-vergonhas no meio daquele povo, isso é inegável. Tem sim muitos pilantras, que roubam o povo na cara dura e que usam o evento apenas para autopromoção. Mesmo assim, não é esse o objetivo do evento. Isso significa que nem as características ruins mancham a ideia principal do evento, que é o de reunir pessoas que partilham de mesma fé. Não se derruba uma árvore por causa de alguns frutos podres. Também não se pode condenar um evento por causa de pequenos problemas no seu meio.

É por isso que não condeno a Marcha e seus simpatizantes. Continuo achando um evento desnecessário e sem muito valor, mas nem por isso vou falar mal de quem vai ou deixar de ir. Só não fui esse ano porque estava meio doente, mas se estivesse bom iria com certeza. As coisas que tenho de evitar são aquelas que me fazem mal e que entristecem meu DEUS. Coisas como cobiça, mentira, engano e falso testemunho. Não vou deixar de acompanhar meus amigos a eventos que são neutros para mim só por causa de uma ‘frescura gospel’. Não dessa vez.

E vocês, o que pensam da Marcha? Aprovam, condenam, participam, não acham nada?
Comentem! O espaço é de vocês 😀

Marcha pra Jesus 2010, em São Paulo

Cada um com seus problemas?

Eu estava devendo esse post há algum tempo e resolvi postá-lo logo, antes que eu esquecesse desse fato deprimente e revoltante.
Aconteceu há algumas semanas atrás, enquanto eu voltava da aula. Entre minha casa e onde estudo gasto aproximadamente 2 horas usando transporte público. E nele vejo muitas coisas vergonhosas e até mesmo estranhas. Mas o que narrado a seguir foi sério.

Vamos aos fatos: estava eu na estação esperando um trem (um dos últimos do dia). Quando ele chegou, eu entrei e logo notei que tinha um homem caído, cheio de refluxo (para não dizer um português mais claro) em toda a camisa e em sua volta. Perto dele havia algumas latas de cerveja, o que seria um possível motivo para esse problema. A sorte desse homem é que nesse vagão estavam dois guardas. Eles logo o socorreram e tentaram o ajudar, apesar de ser difícil.
Quanto mais o tempo passava mais ele sofria com os constantes refluxos. Se os guardas (que eram fortes) não o tivessem virado de lado ele já teria engasgado e sofrido até mesmo uma parada respiratória.
Pois bem, vendo o estado desse homem, os guardas logo começaram a planejar o que poderia ser feito. Decidiram descer ele na próxima estação e levá-lo para o hospital da cidade. Bastava apenas falar com os guardas da próxima estação para conseguirem tirar ele do vagão. Porém não foi isso o que aconteceu.
Quando chegaram na estação e já estavam se preparando para tirá-lo da composição, um dos ‘chefes’ da estação disse que não havia necessidade de fazer isso. Disse isso talvez como um castigo ao homem que sofria por uma conduta errada. Os guardas, ouvindo essa ordem tão desumana se entreolharam e acataram a decisão. Fiquei perplexo quando vi isso…A cena foi horrível: olhei para o trem saindo (pois eu havia chegado ao meu destino) com aquele homem quase morrendo sem ninguém para auxiliá-lo. O que será que aconteceu com ele? Será que o mesmo sobreviveu? O que se passou na mente daqueles guardas e ferroviários?

vergonha nacional

A cada dia que passa vejo o fundo poço na qual o ser humano se afundou. Não existe mais amor, muito menos consideração pelo próximo. Cada um defende apenas o que é seu, os seus pertences e seus entes queridos, e o resto que se dane. Meu Senhor! Aonde esse mundo vai parar? Até quando iremos ver os problemas, o MAL, entrar na vida das pessoas?! Temos que mudar isso, não podemos continuar dessa forma!
Não sei mais o que dizer, tamanha indignação. Paro aqui com minhas palavras, e espero que você mude de atitude e pense mais no ser humano.